Querer-te é um desejo ambíguo 

Entre tuas veias, sangro-me a pele que apela por ti: E a seda transparente seduz o que transluz de tua carne. O cerne de tua alma acalma-me porém remobília-me os desejos, redecora o decoro, apura o que é impuro e me sataniza com o coro dos anjos. Querer-te é um desejo ambíguo, pois ao tocar-te com fervor, minha pele sangra e macula em estupor.  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s